20 – Pedagogia das rodas, decolonialidade e outros patrimônios – 2ª parte

Dando continuidade a série dedicada a pedagogia das rodas, decolonialidade e outros patrimônios, continuamos conversando com Luan Sodré de Souza, que nos contou sobre a invisibilidade e racismo na academia, sobre a educação musical afrodiaspórica e os desafios de aproximar a universidade da comunidade.

Ficha Técnica:

. Limpando o salão (Gilberto Vieira) – abertura e encerramento

. O samba nasceu na Bahia (Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz)

. O Hino da Independência (D. Pedro I e Evaristo da Veiga)

. Jesus alegria dos homens (Johann Sebastian Bach)

. O Guarani (Carlos Gomes)

. A Carne (Marcelo Yuka, Seu Jorge e Ulisses Cappelletti)

. O Hino da Proclamação da República (Medeiros de Albuquerque e Leopoldo Miguez)

. Exu (Djalma Corrêa) – Disco Candomblé, 1977.

. Grupo de Samba Chula Filhos da Pitangueira São Francisco do Conde – Bahia

. Dembwa (Tiganá Santana)

. Solo de berimbau (Nana Vasconcelos)

Bibliografia:

MOURA, Roberto M. No princípio, era a roda: um estudo sobre samba, partido-alto e

outros pagodes. Rio de Janeiro: Rocco, 2004.

FERNANDES, JN. Educação musical e fazer musical: o som precede o símbolo. Revista Plural (Rio de Janeiro), rio de janeiro, v. 1, n.1, p. 47-58, 1998.

OLIVEIRA, Eduardo David de. Filosofia da ancestralidade: corpo e mito na filosofia da Educação Brasileira- UFC. 2005. 353f. – Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza (CE), 2005.

SOUZA, LS Educação musical afrodiaspórica: uma proposta decolonial para o ensino acadêmico do violão a partir dos sambas do Recôncavo baiano. 2019. 248 fl. Tese (Doutorado em Música) – Escola de Música, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.