Personalidades negras e as casas históricas: exclusão, racismo e silenciamentos

Por Liane Bonzoumet

Democracia, direito à memória, visibilidades, invisibilidades são questões latentes na história contemporânea. O patrimônio cultural, compreendido como uma forma de escrita do passado, responsável por estabelecer e legitimar referência de identidade e sentimento de pertencimento(…)”

Read More

A escuta sensível e os objetos museológicos: uma mediação cultural lúdica através do aplicativo Jogo da Memória do Museu das Bandeiras

Por Raísa Cavalcante

Em tempos de ensino remoto e visitas virtuais, o celular tornou-se um objeto gerador da sala de aula e de outras instituições culturais. Se antes esse aparelho era temido pelo professor e desligado nos museus, agora ele se torna essencial na comunicação e no processo de ensino aprendizagem de escolas e instituições culturais, principalmente no ciberespaço. (…)

Read More

Avenida Barão de Tefé, 75 – Impasses na materialização da memória negra da região portuária

Por Luz Stella Rodríguez Cáceres

Em maio de 2012 arqueólogos encontraram o que seria a pedra fundamental do Armazém das Docas Dom Pedro II. Lavrada em 15 de setembro de 1871, ela mede um pouco mais de um metro e pesa cerca de duas toneladas. O bloco de granito enterrado na esquina das ruas Barão de Tefé e Sacadura Cabral é um registro histórico de uma época em que o porto era muito importante para a cidade do Rio de Janeiro.

Read More

O que as panelas de barro têm a ver com o patrimônio cultural brasileiro?

Por Camila Biondi

A partir desta pergunta, proponho que pensemos um pouco sobre o que são os “bens culturais” e quais os seus impactos no dia a dia da comunidade onde estão inseridos e como se relacionam. (…)

Read More