Bay Xeká: memórias de uma exposição polifônica

Por Carina Martins

Em outubro de 1998, foi inaugurada a exposição “Bay Xeká: os índios Maxakalis”, com duração de 11 dias em um shopping popular da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. Era uma proposta do Setor de Arqueoastronomia e Etnologia Americana de extrapolar os muros da UFJF, do qual fazia parte como estagiária voluntária há três anos. Tinha sido convidada pelo Prof. Franz Hochleitner em uma visita que fiz com minha amiga Adriana, quando cursávamos o Ensino Médio. Aceitamos.

Read More

TEBAS: negro, arquiteto, mas ainda, ex-escravo

Por Gabriela Dias

Nos dias atuais, são muitos os questionamentos acerca da existência do racismo que, ainda, permeia o modo de pensar de grande parte da sociedade. Assim como você, nos questionamos: como pode, em pleno século XXI, termos que falar de situações brutais e ignorantes, como é o caso do preconceito racial? (…)

Read More

Notícias de um julgamento: mais uma estátua ao chão

Por Nelson Cayer

Quantas estátuas mais serão derrubadas na luta por reparação histórica, justiça social, contra o colonialismo e o racismo? Essa é a provocação que nos faz Nelson Cayer em seu relato sobre o recente episódio ocorrido na Colômbia, quando lideranças indígenas lançaram ao chão a estátua de um conquistador espanhol. E assim lembramos a nossa série “Memórias em disputa, monumentos em litígio”, com mais uma experiência de contestação e busca por representatividade no espaço público.

Read More

Estátuas em transe: iconoclasmo e assimetrias na produção da história

Por Marcelo Abreu

As cenas da estatua derrubada em Bristol percorreram o mundo, talvez com intensidade semelhante a do assassinato brutal de George Floyd. Edward Colston já não respirava, George Floyd já não respira. Um suspirou para a eternidade, em 1721, revivendo no bronze em 1895, quando a lembrança de seus atos como mercador de escravos não suplantavam a imagem de filantropo. (…)

Read More